Giro

Giro

Entre as melhores

O mês de novembro foi bastante especial para muitas Unimeds. Saiu a divulgação do resultado do Guia VOCÊ S/A – As 150 Melhores Empresas para Trabalhar, pesquisa realizada pela equipe da revista em parceria com a Fundação Instituto de Administração (FIA). A edição deste ano teve participação recorde de 500 empresas, que se inscreveram voluntariamente para minuciosa análise. Na lista de Unimeds presentes, três são do Paraná: Curitiba, Cascavel e Pato Branco. Já no resultado da GPTW (Great Place to Work), a Unimed Paraná figurou em 11ª no ranking nacional de empresas de saúde, e no 27º no ranking estadual de empresas, independentemente, da categoria. Também foram conhecidos os vencedores da Premiação da Marca, da Unimed do Brasil, agora em novos formatos. As Unimeds Apucarana, Norte Pioneiro e Cascavel foram as ganhadoras paranaenses, respectivamente, nas categorias Ações/campanhas com o colaborador, Prêmio Sustentabilidade e Prêmio Excelência na Jornada do Cliente.

Hackathon nas Unimeds

As Unimeds Maringá e Cascavel realizaram no início do segundo semestre, agora foi a vez da Unimed Ponta Grossa fazer sua primeira maratona de inovação. Além da Academia Médica, a 1ª Hackathon da Unimed Ponta Grossa foi realizada com várias parcerias, entre elas, o Sebrae – Startup/PR, o Grupo Unium, a cooperativa Capal, a faculdade Unopar, a Revista Fix e a Federação das Unimeds do Paraná, nos dias 23, 24 e 25 de novembro. E teve as duas primeiras etapas ainda no mês de outubro. A palavra hackathon vem do inglês e é formada pelos vocábulos to hack, ‘fatiar’, ‘quebrar’, ‘alterar ou ter acesso a um arquivo ou rede’, e marathon, maratona. O termo, aportuguesado para “hackaton”, consiste em uma maratona de programação, na qual uma equipe composta por hackers e técnicos especializados na área da qual foram lançados os desafios se reúnem por horas, dias ou até semanas, a fim de explorar dados e buscar soluções para os problemas propostos.

Mude 1Hábito

Com o mote “Já marcou uma hora com você hoje”, o Sistema Unimed avança na campanha Mude 1 Hábito fortalecendo o conceito de mudança de hábio para uma vida melhor, a partir de uma autorreflexão. A campanha esá fundamentada em como sair da procrastinação, com dicas sobre alimentação saudável, atividades físicas, rotina de trabalho, entre outras. Para participar, basta se cadastrar no site www.mude1habito.com.br, escolher o hábito que deseja mudar e seguir as dicas e orientações. Obviamente, isso não tira a responsabilidade do participante e a necessidade de orientação médica seja na decisão de iniciar atividades físicas ou mesmo na adoção de dietas para emagrecer ou equilibrar o organismo. Entre na página e comece hoje mesmo a vencer sua meta.

Cientistas brasileiros encontram possível cura para a Hepatite C

Um novo composto que inibe a replicação do vírus da hepatite C (HCV) em diversos estágios de seu ciclo – e é capaz de agir também em bactérias, fungos e células cancerosas – foi sintetizado por pesquisadores da Universidade Estadual Paulista (Unesp). O estudo – apoiado pela FAPESP, por meio de vários instrumentos de fomento à pesquisa, foi descrito em artigo publicado, em fim de setembro, na revista Scientific Reports, do grupo Nature. Os pesquisadores são os doutorandos Mariana Nogueira Batista e Paulo Ricardo da Silva Sanches, respectivamente, orientandos dos professores Paula Rahal, do Laboratório de Estudos Genômicos do Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas da Unesp, em São José do Rio Preto, e Eduardo Maffud Cilli, do Laboratório de Síntese e Estudos de Biomoléculas do Instituto de Química da Unesp, em Araraquara. Participam ainda do estudo Bruno Moreira Carneiro, Ana Cláudia Silva Braga e Guilherme Rodrigues Fernandes Campos. Para ver o artigo: https://www.nature.com/articles/s41598-018-32176-w

Acelerador de partículas

O Brasil conta agora com o segundo acelerador de partículas do mundo. A primeira etapa do Projeto Sirius, como é denominado, foi inaugurada no mês de novembro. Trata-se de um laboratório de luz sincrotron, uma estrutura capaz de analisar diferentes materiais em escalas de átomos e moléculas. A conclusão da estrutura está prevista para 2020. No entanto, os pesquisadores já poderão iniciar os trabalhos no segundo semestre de 2019. A expectativa é de verdadeira revolução na pesquisa brasileira, e também, internacional, em diversas áreas, que podem ir desde a exploração de petróleo até a própria área de saúde.

Caso de Ebola 

A República Democrática do Congo registrou, no mês de novembro, aumento no caso de ebola no país. No fim do mês, eram 372 casos confirmados. No último dia 26, na tentativa de diminuir o número de mortes e controlar a epidemia, a ONG Aliança para Ação Médica Internacional (ALIMA), – graças a um consórcio entre países, coordenado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) – anunciou um ensaio clínico terapêutico inovador no seu centro de tratamento na cidade de Beni, em Kivu do Norte. Outros ensaios então sendo distribuídos por outra entidade, sempre com a aprovação das famílias. A última epidemia do ebola foi considerada encerrada, em janeiro de 2016. Sua origem aconteceu na Guiné Conacri, de onde se expandiu para Serra Leoa e Libéria. Na ocasião, computaram-se mais de 28 mil casos, com 11.300 mortes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *