Psicóloga traz dicas para cuidar da saúde mental durante o isolamento

A pandemia de Covid-19 trouxe mudanças significativas para a rotina da sociedade, motivadas principalmente pelo tão necessário isolamento social. Permanecer em casa, sem a proximidade de amigos e familiares, porém, pode despertar pensamentos negativos e sentimentos como a solidão e ansiedade. Nesse momento, buscar amparo – mesmo que digital – e encontrar uma nova rotina podem aliviar o estresse e mudar a forma de encarar a quarentena.

Coronavírus: dicas para uma rotina saudável no home office

A mudança radical a qual todos foram impostos não é fácil de ser enfrentada, e pode despertar sensações ruins inclusive em pessoas saudáveis, conforme explica a psicóloga Paula Pirola Abreu (CRP 08/08840), que atua na Unimed Londrina. “Pode aumentar o medo e a ansiedade em relação ao vírus, causar a falta de concentração e distúrbio do sono, além de motivar o aumento de substâncias psicoativas como o álcool e tabaco”, diz. A profissional, porém, lembra que o isolamento é um ato de cuidado. “Este distanciamento não é uma derrota, é uma proteção à vida. É uma oportunidade de entender seu interior”.

Não se cobre tanto

A psicóloga explica que, por sentir falta da rotina, as pessoas tendem a sentir mais agitação e ficam um pouco confusas nas próprias casas. “Querem fazer tudo e ao mesmo tempo não querem fazer nada”, diz. Neste caso, criar uma programação para o dia pode ajudar, já que a rotina pode ocupar a mente. “Cuidar da casa, dos filhos, pensar positivo, se exercitar, quem sabe fazer um diário desses dias de isolamento, além de ter uma boa alimentação e noite de sono podem auxiliar no combate aos pensamentos negativos”.

Além de encontrar uma nova rotina, Paula relembra a importância de não se cobrar tanto, sobretudo em um momento tão distinto. “Às vezes as coisas sairão como planejamos, mas outras vezes não. Precisamos abrir mão do controle de tudo, da organização, e sempre nos dispormos a tentar novamente sem uma autocobrança extrema”, completa.

Excesso de informação

O excesso de notícias e de informações pelas redes sociais também contribuem para que as pessoas fiquem ansiosas, de acordo com a profissional. “As pessoas ficam imaginando possíveis cenários para a situação e os impactos negativos que poderão ter na própria vida. Precisamos nos ater apenas às informações que são pertinentes e confiáveis”, afirma.

Neste caso, a psicóloga recomenda que, em momentos de negatividade, a pessoa reduza o consumo desse conteúdo. “É importante procurar atividades que possam ajudar a se desligar desse cenário e relaxar”.

Isolamento é diferente de solidão

A profissional lembra que, apesar de estarmos em um período de isolamento social, ninguém precisa se sentir sozinho. “Tanto a família como amigos podem compartilhar o seu dia a dia pela internet. É importante ter alguém que demonstre se importar com nosso bem-estar e compartilhar palavras de otimismo”, orienta.

Por fim, a psicóloga destaca que os pacientes em tratamento devem fazer o uso das respectivas medicações de forma correta. “Também existem exercícios de respiração, meditação e relaxamento disponíveis na internet que podem ser bastante úteis nesse momento”, finaliza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *