Sesa disponibiliza autoteste de HIV para todo o Paraná

A Secretaria da Saúde do Estado do Paraná (SESA) reforçou, nesta semana, que conta com a disponibilidade de autoteste de HIV para todos os munícipios paranaenses. A informação foi repassada às 22 Regionais de Saúde do Estado, serviços públicos e entidades que atuam com acolhimento, monitoramento e tratamento da infecção com o objetivo de ampliar o acesso ao diagnóstico da doença.

A Sesa passou a descentralizar a oferta recentemente depois de realizar projeto-piloto durante cerca de um ano junto ao município de Curitiba. Para a liberação do insumo, o município deve estar organizado para o serviço que, além da distribuição, prevê a orientação e acompanhamento de pessoas que venham a confirmar a infecção.

Como o próprio nome já diz, no autoteste a pessoa coleta sua própria amostra (fluído oral ou sangue). É recomendado para as populações consideradas prioritárias inseridas nos segmentos mais afetados pela epidemia do HIV. “A principal orientação neste processo deve acontecer ainda na retirada do material do autoteste, com a indicação para exames adicionais, junto a serviços capacitados, no caso de reagente positivo”, explica a chefe da Divisão de Doenças Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis da Sesa, Mara Franzoloso.

 Pandemias

A chefe da divisão da Sesa lembra que, no momento, vivemos duas pandemias. “A atual, do novo coronavírus, que em sete meses atinge cerca de 15 milhões de pessoas no mundo, e a pandemia da Aids, hoje chamada de “epidemia concentrada”, presente há 39 anos, com o registro de 35 milhões de casos e 35 milhões de óbitos; ambas são causadas por vírus; podem levar à morte; sofrem influências negativas de circulação de informações incorretas e dependem de mudança de atitude”, pontua.

Números atualizados do novo coronavírus no Paraná

Neste momento, a Sesa recomenda aos profissionais da área que também alertem o público-alvo para a estratégias de prevenção de profilaxia pós- exposição e de pré-exposição ao HIV. São profilaxias dirigidas a pessoas que se expõem a relações sexuais sem uso de preservativo, pessoas em relacionamento sorodiferente, usuários de drogas e com episódios frequentes de outras infecções sexualmente transmissíveis.

As ferramentas combinam o uso de medicamentos para prevenção e tratamento HIV/AIDS.

Fonte: SESA PR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *