A prática do mindfulness na rotina do profissional da saúde

Você já ouviu falar sobre o mindfulness? Se a resposta for “não”, saiba que você não está sozinho! Traduzido como “atenção plena”, o mindfulness é um estado psicológico em potencial em todo ser humano e, entre outras coisas, propõe focar a atenção no presente, no aqui e agora, deixando de lado o passado e o futuro. Com a promoção de diversos benefícios para a vida de quem o exercita, a pratica desse estado mental passou a fazer parte da rotina dos colaboradores do Centro APS da Unimed Paraná, que celebram os resultados.

Enfrentando a pandemia: “Quero abraçar muitos abraços”

O médico de Família e instrutor com formações nacionais e internacionais na área, Luiz Fernando Nicolodi, explica que a prática do mindfulness gera uma mente flexível, calma, centrada e resiliente. “Passamos tempo demais julgando a nossa experiência, afirmando que ‘isso eu gosto e aquilo eu não gosto’. Essas tendências julgadoras nos amarram em parâmetros estreitos da mente, não nos permitindo experenciar aspectos da vida que sempre estiveram presentes, porém não reconhecidos. O apego e a aversão são as raízes do sofrimento mental”, pontua.

De acordo com Nicolodi, a prática vai além de uma técnica, uma meditação específica ou um programa. “É mais um estado de ser e, para isso, precisamos cultivar, treinar e nos familiarizar com esse estado mental e físico”.

A prática do mindfulness na área da saúde

A prática foi levada aos colaboradores do Centro APS após o médico perceber um sofrimento mental entre os colegas. “Na área de saúde os profissionais são expostos a cargas emocionais enormes pelo fato de lidar com o sofrimento alheio. O mindfulness ajuda a perceber os limites e como é importante estar atento e em uma atitude livre de tantos julgamentos para realmente auxiliar os clientes”, diz.

Desde julho, são realizadas práticas curtas de 10 minutos em cada turno do trabalho, com participação voluntária. “Quem participa já percebe benefícios surgindo, com relatos de mais foco no trabalho e menos estresse emocional”, afirma o médico. “No mundo acelerado em que vivemos, com altas taxas de ansiedade e depressão, o mindfulness se torna cada vez mais necessário. As empresas que conseguirem inserir isso não apenas como uma intervenção isolada, mas realmente como um valor institucional e cultural, sairão na frente”.

A experiência de quem participa

A enfermeira Marisa Pereira Camilo Alves conta que já tinha ouvido falar sobre o mindfulness, mas nunca tinha tido a oportunidade de praticar. “Foi muito bom e importante ter alguns minutos de pausa para observarmos nosso corpo, mente, sentimentos e pensamentos. O resultado é positivo quando você consegue observar e sentir coisas que muitas vezes sem orientação e sem essa prática você não consegue absorver. Teremos benefícios sempre que houver esse momento que fazemos algo por nós mesmos”, afirma.

Já a farmacêutica Milena Jayme, que também atua no Centro APS, tinha até mesmo um livro sobre o assunto em casa, e sente falta da prática nos dias que não consegue participar do grupo. “É muito bom aprender de forma guiada como o Dr. Luiz proporcionou! Agora já consigo fazer sozinha e estou tentando fazer dessa prática um hábito. Muitas vezes estávamos ali com a rotina atribulada e parar um pouquinho para praticar o mindfulness faz toda a diferença no desenvolvimento das atividades”, explica. Para a profissional, o exercício a faz focar mais no presente. “Quando pratico me sinto mais calma, os pensamentos se ‘aquietam’. Fico mais focada no presente, saio do modo ‘automático’”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *