Febre amarela: prevenir é fundamental

Febre amarela - prevenir u00e9 fundamental

Febre su00fabita, calafrios, dor de cabeu00e7a, dor nas costas, dor no corpo,u00a0 dor abdominal, nu00e1useas, vu00f4mitos e fraqueza su00e3o os principais sintomas

VACINAu00c7u00c3O u00c9 A RESPOSTA PRINCIPAL PARA O COMBATE a essa doenu00e7a viral aguda, conhecida por febre amarela, causada pelo flavivu00edrus, transmitido u00e0s pessoas pela picada de mosquitos do gu00eanero Aedes ou Haemagogus. O Ministu00e9rio da Sau00fade ampliou as u00e1reas de recomendau00e7u00e3o de vacinau00e7u00e3o contra a febre amarela, incluindo todo o Estado do Paranu00e1, desde julho de 2018. Os mu00e9dicos Luiz Henrique Furlan e Elide Sbardellotto Mariano da Costa, da Unimed Paranu00e1, lembram que os alertas da Secretaria de Sau00fade do Estado do Paranu00e1 apontam alguns casos autu00f3ctones (ou seja, originados aqui mesmo na regiu00e3o). Por isso, u00e9 importante a atenu00e7u00e3o. Geralmente, os sintomas iniciam-se de 3 a 6 dias apu00f3s a picada, podendo levar atu00e9 15 dias para terem inu00edcio. Cerca de 15% dos casos apresentam umu00a0breve peru00edodo de melhora e, entu00e3o, desenvolvem uma nova fase mais grave da doenu00e7a. Por isso, ao identificar os primeiros sinais u00e9 fundamental procurar o mu00e9dico. Os sintomas mais comuns incluem febre su00fabita, cala-frios, dor de cabeu00e7a, dor nas costas, dor no corpo, dor abdominal, nu00e1useas, vu00f4mitos e fraqueza.
Quem ju00e1 se vacinou na infu00e2ncia ou na fase adulta estu00e1 devidamente protegido. As crianu00e7as devem receber a dose u00fanica da vacina a partir dos nove meses. Os adultos podem receber a dose u00fanica atu00e9 os 59 anos. A vacina u00e9 gratuita e estu00e1 disponu00edvel nas unidades de sau00fade do SUS. u201cAntigamente, era necessu00e1rio repetir a dose a cada 10 anos. No entanto, novas avaliau00e7u00f5es da Organizau00e7u00e3o Mundial da Sau00fade indica que nu00e3o u00e9 necessu00e1riou201d, afirma Furlan.u00a0u00a0

A vacina su00f3 u00e9 contraindicada para crianu00e7as menores de 9 meses, gestantes, lactantes que estejam amamentando crianu00e7as menores de 6 meses, imunossuprimidos em uso de quimioterapia, radioterapia, imunobiolu00f3gicos, corticosteroides ou com doenu00e7as imunossupressoras e adultos com mais de 59 anos, 11 meses e 29 dias. Nesses casos, o cuidado deve ser redobrado. u201cO ideal u00e9 que essas pessoas sejam protegidas com uso de calu00e7as e roupas com mangas compridas, sapatos fechados, repelentes e mosquiteiros. Alu00e9m de evitarem locais com acu00famulo de u00e1gua e lixo onde o mosquito possa se replicar. Quem nu00e3o u00e9 indicado a tomar a vacina, mas estu00e1 em locais de risco, u00e9 fundamental procurar orientau00e7u00e3o mu00e9dica.
A febre amarela foi um dos principais inimigos combatidos pelo sanitarista Oswaldo Cruz, no inu00edcio do su00e9culo passado. Conhecido como Tu00famulo dos Estrangeiros, o Rio de Janeiro era considerado um grande desafio para a sau00fade pu00fablica no comeu00e7o dos anos 1900. Sendo capital, era fundamental que partissem dali algumas au00e7u00f5es importantes de sanitarismo e outros cuidados u00e0 sau00fade. A conhecida u201cRevolta da vacinau201d estu00e1 relacionada u00e0 criau00e7u00e3o de brigadas de mata-mosquitos, destinadas a combater as principais doenu00e7as epidu00eamicas transmitidas pelo inseto, como a malu00e1ria e a febre amarela. Na u00e9poca,u00a0a vacinau00e7u00e3o compulsu00f3ria nu00e3o foi entendida como a questu00e3o de vida ou morte que ela encerra.
Passados mais de 100 anos, infelizmente, ainda nos deparamos com os mesmos problemas. O avanu00e7o de uma doenu00e7a tropical que ju00e1 deveria estar extinta e a displicu00eancia de alguns cidadu00e3os que ainda resistem em enxergar o quu00e3o fundamental u00e9 a prevenu00e7u00e3o. O alerta se estende a quem mora ou vai visitar u00e1reas rurais ou de matas e rios, ou que realizam atividades de trabalho ou lazer como pesca, agricultura e extrativismo de madeira. Su00f3 u00e9 considerado vacinado quem tiver o comprovante de vacinau00e7u00e3o, que deve ser conservado como documento pessoal. Quem vai viajar para fora do Brasil deve seguir as recomendau00e7u00f5es do Regulamento Sanitu00e1rio Internacional. Quem vai viajar para localidades nacionais precisa verificar se o destino u00e9 uma u00e1rea de recomendau00e7u00e3o da vacina. Nas duas situau00e7u00f5es, no caso da primeira vacinau00e7u00e3o, u00e9 necessu00e1rio se vacinar pelo menos dez dias antes da viagem.
u00c9 fundamental lembrar u00e0 populau00e7u00e3o, alertam as entidades de sau00fade: Os macacos Nu00c3O transmitem febre amarela, eles auxiliam no controle da doenu00e7a. A identificau00e7u00e3o de primatas mortos por febre amarela possibilita au00e7u00f5es preventivas antes de a doenu00e7a se espalhar.
Fonte: Sec. de Estado de Sau00fade do Paranu00e1/ Colaborau00e7u00e3o Unimed Paranu00e1.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *