Dicas de saúde: como fazer a higiene íntima e evitar doenças

A ginecologista e obstetra Patrícia Hiromi Kiara, da Unimed Costa Oeste, dá cinco dicas para fazer a higiene íntima feminina e evitar doenças

Dra. Patrícia Hiromi Kiara

Nome completo: Dra. Patrícia Hiromi Kiara
Especialidade: Ginecologia e Obstetrícia
Singular: Unimed Costa Oeste
Tempo de profissão: 9 anos de formação – 5 anos na Ginecologia e Obstetrícia

A higiene íntima é muito importante e deve ser feita de forma adequada para não prejudicar a saúde da mulher. Além de infecções vaginais, a falta de higiene íntima adequada pode causar o aparecimento de caroços inflamados na pele, especialmente na região da virilha, axilas e ânus, levando ao desenvolvimento da hidrosadenite supurativa, que corresponde à inflamação das glândulas de suor.

5 dicas para fazer a higiene íntima e evitar doenças

1. Lavar a região externa da vagina com sabonete neutro

É recomendado que a região íntima seja lavada apenas com água e sabão neutro para evitar que a microbiota vaginal fique desbalanceada e haja a proliferação de microrganismos responsáveis por doenças. O uso de sabonetes íntimos não é indicado.

2. Não usar duchas vaginais

As duchas vaginais também devem ser evitadas, porque podem alterar o pH e a flora vaginal, deixando a vagina mais suscetível a infecções. No entanto, em alguns casos em que haja uma infecção ou o pH esteja alterado, pode ser necessário realizar uma ducha vaginal, mas só se for recomendada pelo médico.

Leia também: Mulheres podem adoecer mais no segundo ano da pandemia

3. Não usar lenços umedecidos ou papel higiênico perfumados

Os lenços umedecidos e o papel higiênico perfumado devem apenas ser usados em casos de extrema necessidade, quando se está fora de casa, por exemplo, e poucas vezes ao dia, pois, quando usados em excesso, podem provocar secura na vagina e irritações, eliminando a lubrificação natural da região genital e podendo interferir no pH.

4. Usar roupa íntima de algodão

Roupas íntimas de materiais sintéticos dificultam a transpiração da pele e aumentam o acúmulo de suor, tornando a região genital mais úmida e quente, o que favorece a proliferação de microrganismos, principalmente o fungo do gênero Candida, que é responsável pela candidíase. É recomendado que a mulher use calcinha de algodão e evite usar roupas muito apertadas.

Leia também: Qual a alimentação adequada na quimioterapia?

5. Higiene após o contato íntimo

Logo após o contato íntimo, deve-se tentar urinar para evitar o surgimento de infecções urinárias e, logo em seguida, deve-se lavar abundantemente a região íntima com água e apenas um pouco de sabonete.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *