É adulto e tem acne? Saiba como prevenir e tratar

A dermatologista Camila Otani, da Unimed Cascavel, fala sobre acne em adultos e alerta para o surgimento da “mascne”, que são as espinhas causadas pelo uso da máscara de proteção. 

Quando o assunto é acne, muita gente lembra logo da adolescência. Aquela fase em que cravos e espinhas insistem em aparecer e jogar a nossa autoestima lá em baixo. Mas o problema, infelizmente, não se limita à pouca idade. Muitos adultos, principalmente mulheres na faixa entre os 30 e os 39 anos, ainda sofrem com a doença.  

“São várias as causas da acne em adultos. E frequentemente encontramos mais de um fator associado”, explica a dermatologista Camila Otani, da Unimed Cascavel. De acordo com ela, esses fatores podem estar ligados à alimentação, distúrbios endocrinológicos, uso de medicamentos e de maquiagem, higienização inadequada da pele, gravidez e menstruação, estresse, utilização de cosméticos impróprios para o tipo de pele e predisposição genética. Além disso, ela conta que “o uso de máscara de proteção vem causando acne nas áreas cobertas da face em pacientes já predispostos, o que chamamos de mascne”. 

A mascne ocorre devido ao abafamento da pele e ao atrito da máscara com o rosto. Isso aumenta a oleosidade na área e facilita a entrada de bactérias nos poros. Apesar do inconveniente, a máscara deve continuar sendo utilizada, já que é uma das principais medidas de proteção contra o coronavírus. Além disso, independentemente do motivo causador, a acne tem prevenção e tratamento. 

Leia também: Máscaras ainda são as melhores aliadas no combate à Covid-19

Características da acne em adultos 

A acne em adultos pode se manifestar pela primeira vez nessa fase da vida, continuar após a puberdade ou voltar após anos de trégua.  

Nos adolescentes, os cravos e espinhas costumam se concentrar mais na zona T, composta por testa, nariz e parte superior das bochechas. Já nos adultos, a tendência é que apareçam mais na chamada zona U – formada por queixo, mandíbula e pescoço. 

Leia também: Covid-19: regras de ouro para proteger a sua saúde e a do próximo

Nos adultos, os cravos brancos predominam sobre os pretos. Ambos são resultado do entupimento das glândulas sebáceas pelo excesso de gordura que produzem. A diferença é que os brancos têm o orifício das glândulas fechado, e os pretos têm o orifício aberto. A coloração escura ocorre porque o óleo oxida em contato com o ar.  

As espinhas também surgem em decorrência da obstrução das glândulas sebáceas, mas aqui há uma inflamação. O processo ocorre porque as bactérias Propionibacterium Acnes, ao se alimentarem da gordura excedente, liberam toxinas em nosso corpo. O sistema imunológico reage mandando células de defesa, que entram em confronto com as bactérias e levam inflamação e pus à superfície da pele.  

Como prevenir e tratar acne 

A regra básica para prevenir o surgimento de acne é evitar a obstrução dos poros. Para isso, confira as dicas da Camila Otani. 

Higienização adequada 
É muito importante lavar a pele, pelo menos duas vezes ao dia, com sabonetes à base de ácido salicílico, enxofre e ácido glicólico. Dessa forma, você retira o excesso de oleosidade, a poluição e a sujeira. 

Atenção à maquiagem  
Mulheres que usam base, pó, corretivo e demais itens de maquiagem devem optar por produtos livres de óleo ou não comedogênicos. No fim do dia, remover a maquiagem com produtos específicos para esse fim também é essencial para eliminar as impurezas.   

Filtro solar como aliado 
Vale a pena investir em opções mais leves e sequinhas, também do tipo oil free ou não comedogênicos. Há ainda no mercado opções com ativos matificantes, que controlam o excesso de oleosidade da pele ao longo do dia. 

Esfoliação na medida 
A esfoliação suave e regular tem efeito benéfico, mas é preciso ficar atento a possíveis irritações, principalmente em pacientes com a pele sensível. Nesse caso, é necessário diminuir a frequência do uso. 

Para quem sofre com acne, a consulta com um dermatologista é indispensável. O profissional poderá indicar “outros produtos para controlar a oleosidade, uso ácidos tópicos, antibióticos e até mesmo isotretinoína via oral em casos mais graves ou não responsivos aos tratamentos anteriores”, afirma Camila. Procedimentos também podem ser realizados, “com a finalidade de acelerar resultados, melhorar o componente inflamatório, clarear manchas ou melhorar o aspecto das cicatrizes”.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *