Quer aumentar sua imunidade? Aposte em alimentos naturais!

Nutricionista traz dicas de alimentos naturais que são aliados na hora de aumentar imunidade

Assim que as temperaturas caem, a busca por dicas milagrosas, chás ou alimentos que aumentem a imunidade cresce de forma desenfreada. Com o objetivo de fortalecer o sistema imunológico e prevenir gripes e resfriados – mais comuns durante o inverno -, muitas pessoas passam a apostar em “misturinhas” que prometem resolver todos os nossos problemas. Mas, será que é necessário um ingrediente milagroso para garantir maior imunidade nessa e em todas as outras épocas do ano?

Leia também: Confira dicas para se alimentar melhor no frio e driblar a tentação

Se essa é sua preocupação, pode ficar tranquilo, pois a notícia é boa: para reforçar a imunidade, a solução está muito mais perto e acessível do que imagina. Conforme a nutricionista funcional Camila Mercali, que apresentou duas palestras enriquecedoras com o tema “Alimentação saudável durante pandemia: como aumentar a imunidade”, na Semana Interna de Prevenção de Acidentes e Trabalho (SIPAT), da Unimed Paraná, investir em alimentos naturais, como frutas, verduras, legumes, além de probióticos, como a aveia, a amêndoa e alimentos roxos, pode potencializar nosso sistema imunológico sem nenhum “milagre”.

A profissional pontua, antes de mais nada, que imunidade não é simplesmente “não ficar doente”, como muitos podem pensar. “A imunidade é composta pela saúde intestinal, pela prática de atividade física regular, o controle do estresse, boas horas de sono, alimentação equilibrada e, quando necessário, a suplementação de vitaminas ou elementos que o corpo não esteja produzindo ou recebendo de fontes naturais”, detalha.

Apresentação feita pela nutricionista Camila Mercali, durante a SIPAT da Unimed Paraná

Nessa linha, Camila destaca que, para cuidar bem da imunidade, existem esses seis pilares principais, sendo a qualidade do sono um dos principais a ser regulado. “O primeiro passo que as pessoas devem dar para melhorar para ter uma vida saudável é o sono. Quando dormimos bem, além de descansar, reduzimos as taxas de ansiedade e estresse, o que é essencial nessa busca pela saúde”.

Imunidade: priorize alimentos naturais em relação aos alimentos processados

Em relação à alimentação, a nutricionista chama a atenção para o consumo de alimentos ricos em fitoquímicos – componentes naturais que protegem contra diversas doenças -, além de construir uma rotina alimentar que seja rica em fibras e probióticos. “A orientação é que nós consumamos, por dia, 2g desses componentes fitoquímicos. Porém, no Brasil, a média diária é inferior a 50mg”, comenta, ao reforçar que só é possível encontrar esses componentes em alimentos naturais, ou seja, que não são industrializados. “Por isso há a necessidade de uma alimentação colorida, com legumes, verduras, frutas, e menos alimentos processados ou industrializados”, diz. Como exemplo, 100g de acerola contém 257mg de fitoquímicos, enquanto a mesma quantidade de banana contém 214mg e, de cebola, 90mg.

Camila ressalta que, a maior parte das vitaminas, antioxidantes e nutrientes que nosso corpo precisa estão, de fato, em alimentos fáceis de encontrar e acessíveis, sem ser necessário apostar em ingredientes caros ou mirabolantes na hora de montar um cardápio. “Para aumentar a imunidade, também devemos apostar em uma alimentação rica em fibras e probióticos, como aveia, amêndoa, batata yacon, chicória. Também vale destacar a importância dos temperos naturais, que, além de garantir um sabor único e delicioso à comida, levam nutrientes essenciais para o nosso corpo. Inclua orégano, pimenta do reino, cominho, enfim, experimente, de fato, melhorar sua alimentação”.

De acordo com a nutricionista, é possível fazer pequenas mudanças no dia a dia, por meio de escolhas conscientes que, consequentemente, levarão à uma vida mais saudável. “Além disso, é de extrema importância realizar exames com uma certa frequência, seja semestralmente ou anualmente, para verificar se o nível de vitaminas está adequado, se não há deficiência de zinco, ácido fólico, etc. Nessas situações, pode ser necessário fazer a suplementação”, finaliza.

As duas palestras ministradas pela profissional aos colaboradores da Unimed Paraná terminaram com diversos elogios e, ainda, o sorteio de uma cesta recheada de alimentos saudáveis para dois participantes – um em cada live.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *