Pesquisa aponta tendências de comportamento no Pós Covid-19

Mais forte: é assim que milhares de pessoas acreditam sair da pandemia que vivemos atualmente, de acordo com uma pesquisa realizada recentemente pelo Innovation Center (IC). Entre diversas perguntas, os mais de quatro mil participantes indicaram as tendências de comportamento no Pós Covid-19, que envolvem consumo, expectativa em relação ao futuro e a forma de enxergar as marcas nesse momento.

Leia mais: Números atualizados do novo coronavírus no Paraná

A pesquisa, realizada entre os dias 21 e 25 de abril, contou com a participação de moradores de Curitiba, Porto Alegre, Florianópolis e São Paulo, além de residentes em um raio de até 200 km das respectivas cidades. As respostas foram totalmente espontâneas.

Perfil

A maior parte dos respondentes têm entre 30 e 65 anos (80,5%), e têm como fonte de renda principal um emprego com carteira assinada (31,2%), ou são empresários (27,4%). Em relação ao impacto financeiro causado pela pandemia, 29,6% dos participantes afirmaram que não tiveram redução nos ganhos, enquanto 27,9% sentiram uma diminuição de até 25% no salário.

Comportamento

Durante o isolamento social imposto pela pandemia de Covid-19, a maior parte dos entrevistados afirmou, em uma pergunta de múltipla escolha, estar sentindo falta das atividades com amigos (60,7%), de ir a restaurantes (59,1%) e das atividades com os familiares (52,6%). Em contrapartida, o maior receio dos participantes é de ir aos aeroportos, rodoviárias e utilizar meios de transporte (57,3%), seguido por hospitais (56,2%) e shoppings (54,6%).

Marcas

A pesquisa questionou, ainda, quais as marcas que fizeram o melhor trabalho em relação à pandemia. A Unimed foi a única operadora de saúde que figurou nas respostas, com a preferência de 4,4% dos entrevistados. A cooperativa também foi a opção de 3,5% dos respondentes, quando questionados sobre qual marca gostariam de trabalhar a partir do que foi feito em relação à pandemia.

Leia também: Unimed está entre as marcas mais transformadoras na pandemia

Futuro

Em um momento de dúvidas, o sentimento de incerteza foi o escolhido por 34,1% dos entrevistados quando perguntados sobre o sentimento em relação ao futuro, seguido por Insegurança (22,2%) e Medo (8,6%). Apesar disso, 75,1% disse acreditar que sairá mais forte desse momento.

Confira aqui a pesquisa completa realizada pelo Innovation Center.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *