Uso de metodologia DRG já é realidade em Ponta Grossa

Uso de metodologia DRG já é realidade em Ponta Grossa

Apostando na melhoria da gestão para aumentar a qualidade dos serviços prestados, a Unimed Ponta Grossa implantou a metodologia DRG (Diagnosis Related Groups). Com esse modelo, os pacientes são relacionados diretamente com os recursos consumidos durante o período de internação e, com base nesses dados, eles são classificados em grupos que reúnem semelhanças do ponto de vista clínico, contribuíndo significativamene para a segurança do beneficiário.
Na prática, a operadora de saúde consegue traçar o perfil de atendimento e comparar o tipo de assistência e o consumo de recursos utilizados. E a partir desse ponto, é possível planejar melhoria das práticas de gestão e redução de desperdícios, em benefício do paciente.
“O DRG nos fornece dados para tomada de decisão para a melhor gestão assistencial, administrativa e de segurança do paciente. Entendemos que a aferição de resultados clínicos é fundamental para estruturar processos assistenciais de melhoria”, ressalta Rafael Francisco dos Santos, diretor-presidente da Unimed Ponta Grossa (UPG).
O processo de implantação da metodologia vem ocorrendo desde 2016, quando foi assinado o contrato com a IAG Saúde, e hoje a Singular já possui um extenso banco de dados de codificação. Em quase quatro anos, a cooperativa já codificou 31.600 prontuários, visto que 72,79% são casos cirúrgicos e 27,21% são clínicos. Santos conta que, desde a implantação efetiva do sistema, houve diminuição de 1% da taxa de mortalidade.
O DRG já é aplicada no Hospital Geral Unimed, recurso próprio da cooperativa, e a codificação dos atendimentos nos demais prestadores já está mapeada para 2020.
“Com o DRG, executamos o controle da qualidade assistencial subsidiando a atuação do Núcleo de Segurança do Paciente. Para o cooperado, a metodologia favorece a transparência nos dados assistenciais de cada atendimento, principalmente, porque o DRG é peça-chave no projeto de bonificação. Quando implantarmos nos prestadores, teremos a possibilidade de avaliar efetivamente os custos assistenciais atrelado à qualidade assistencial”, explica o presidente.
Segundo ele, hoje, a Unimed Ponta Grossa vive um importante momento de inflexão no uso do DRG, partindo para a utilização efetiva dos indicadores na relação entre cooperativa, hospital e cooperados. A partir deste ano, os cooperados da Unimed Ponta Grossa receberão uma bonificação pelos internamentos realizados no HGU, que pode chegar a até 30%, com base nos resultados assistenciais obtidos a partir de uma cesta de indicadores que tem o DRG como principal fonte de informação.
“Entendemos que a qualidade do serviço está diretamente relacionada ao sucesso que a UPG tem no mercado local e é necessário um ciclo de melhoria contínua, algo que o DRG nos ajuda a promover, para nos mantermos na vanguarda no mercado de saúde”, afirma.

Rafael Francisco dos Santos Diretor-presidente da Unimed Ponta Grossa
PERFIL

• Cooperados: 550
• Beneficiários (069): 73.583
• Colaboradores: 592 recursos próprios e 231 operadora
• Área de atuação: Ponta Grossa, Arapoti, Castro, Carambeí, Cândido de Abreu, Reserva, Ivaí, Ipiranga, Imbituva, Teixeira Soares, Palmeira, São João do Triunfo, Tibagi, Telêmaco Borba, Piraí do Sul e Jaguariaíva.
*dados referentes nov/2019. Fonte: Autogestão Ocepar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *