Vacinação contra Covid-19: médico esclarece dúvidas e responde qual vacina é melhor

Tire as principais dúvidas em relação à vacinação contra a Covid-19 e saiba: afinal, qual vacina é melhor?

Apesar da importância da vacinação, muitas pessoas têm se recusado a tomar o imunizante dependendo de quem é o fabricante. Algumas cidades até, para inibir a prática, estão penalizando os chamados “sommeliers de vacina”, colocando-os no fim da fila.

“Tome a vacina que estiver disponível. Qualquer imunização é melhor do que nenhuma”, reforça o médico Marlus Volney de Morais, gerente de Estratégias e Regulação de Saúde da Unimed Paraná.

Leia também: Exercícios de respiração para quem teve Covid-19

O médico faz algumas observações importantes sobre a vacinação contra a Covid-19. Confira!

Após tomar a vacina, não me contamino mais?

Mito. O principal objetivo da vacina não é as pessoas não se contaminarem, mas sim não evoluírem para casos mais graves.

Por que todos devem se vacinar?

A vacina é uma proteção individual, mas também comunitária. Ou seja, quanto mais gente imunizada, menor a replicação do vírus e a chance de novas mutações. Por isso, a velocidade da vacinação é essencial.

As vacinas são eficazes para as novas variantes?

Até o momento, a imunização tem se mostrado satisfatória para todas as mutações. Em relação à variante Delta, com maior poder de contaminação, está sendo discutida a possibilidade de uma terceira dose da vacina posteriormente, para evitar que a variante progrida e cause mais danos.

Qual a melhor vacina?

Comparar a eficácia de vacinas diferentes em fase três não é adequado, pois os critérios para se chegar aos percentuais são diferentes em cada estudo. A Coronavac, por exemplo, que enfrenta resistência de algumas pessoas, foi muito utilizada no início da imunização. Ou seja, foi ofertada a pessoas com idade mais avançada e com comorbidades, que têm mais chance de complicação. Além disso, em uma experiência realizada no Uruguai, a vacina Pfizer/BioNTech e Coronavac/Butantan apresentaram resultados semelhantes.

Quem toma a vacina e tem mais reação está mais protegido?

Mito. Hipersensibilidade não significa maior imunidade.

Alguns bebês já nasceram protegidos contra o coronavírus?

Mito. Os anticorpos nos recém-nascidos passaram pela placenta e a tendência é que permaneçam no organismo por pouco tempo.

Quem já teve Covid-19 precisa se vacinar?

Verdade. No entanto, o ideal é esperar 30 dias, após o primeiro dia de sintoma, para receber a primeira ou a segunda dose do imunizante – e também a dose única.

Leia também: Reduzir o intervalo de aplicação da segunda dose da vacina pode ser uma boa estratégia?

Após tomar a vacina, estou protegido para sempre?

Mito. O tempo de proteção das vacinas ainda não foi definido e carece de testes. No entanto, já é sabido que a primeira dose, sozinha, não é o suficiente para garantir a proteção.

Posso tomar cada dose de uma vacina diferente?

Por enquanto não. Mas um comitê de especialistas já está estudando a combinação das vacinas. Estudos preliminares mostram que a combinação aumenta os anticorpos e também pode causar maiores reações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *