Covid-19: aumento de casos reforça a importância da prevenção

Unimed Paraná realiza webinar para falar sobre aumento de casos de Covid-19 no estado

Quem esperava comemorar o fim do ano distribuindo abraços e deixando a máscara de proteção na gaveta estava enganado. Nas últimas semanas, o aumento no número de casos de Covid-19 reacendeu o alerta no Paraná, provocando sobrecarga nos hospitais e fechamento de pronto-socorros.  

Números atualizados do novo coronavírus no Paraná

“Essa doença não vai acabar dia 1º de janeiro de 2021. Janeiro vai ser igual a dezembro. E até surgir uma vacina eficaz, vai demorar”, afirma o médico Paulo Faria, presidente da Unimed Paraná. 

Para que a saúde do estado não entre em colapso e o ano novo traga boas notícias, todos precisam se prevenir. 

Como se prevenir do coronavírus 

De acordo com o médico Marlus de Morais, gerente de Estratégias e Regulação da Saúde da Unimed Paraná, é importante que as pessoas se conscientizem “de todos os cuidados que a gente vem falando desde o início da pandemia, como utilizar a máscara, manter a higiene adequada das mãos e manter o afastamento, porque isso garante que a chance de transmissão seja muito pequena”. 

A higienização das mãos deve ser feita com água e sabão ou álcool em gel e o distanciamento físico de outras pessoas deve ser de 1,5 metro.  

Além desses cuidados, é preciso também criar o hábito de não conversar enquanto estiver se alimentando, não cumprimentar os colegas encostando as mãos, não tocar o rosto e cobrir a boca com lenço ou antebraço ao tossir ou espirrar. 

Seminário on-line 

Para reforçar a importância das medidas de prevenção e tirar dúvidas dos colaboradores, a Unimed Paraná realizou, no último dia 2, um seminário on-line sobre a Covid-19.  

Da esquerda para direita, membros da diretoria da Unimed Paraná: Faustino Garcia Alferez, diretor de Saúde e Intercâmbio; Paulo Faria, presidente; Luís Francisco Costa, diretor Administrativo e Financeiro.

Leia também: CRM-PR alerta para esgotamento da capacidade da estrutura assistencial

O diálogo foi conduzido pelo presidente da Unimed Paraná, Paulo Faria, e teve a participação do diretor de Saúde e Intercâmbio, Faustino Garcia Alferez, e do diretor Administrativo e Financeiro, Luís Francisco Costa. As perguntas foram respondidas pelo gerente de Estratégias e Regulação da Saúde, Marlus Volney de Morais, pelo médico da família que atua no Centro APS da Unimed Paraná, Rodrigo Bagatelli, e pelas coordenadoras Bruna Gama Dias, da área administrativa, e Josiany de Fátima Rolo, da Gestão de Pessoas.   

Uma das dúvidas abordadas pelos colaboradores foi a segurança no ambiente de trabalho. Afinal, e se houver algum assintomático na equipe? É arriscado trabalhar com ele?   

O médico Rodrigo Bagatelli explicou que a taxa de transmissão da doença pelos assintomáticos, até onde se sabe, é muito baixa. E que mesmo que a pessoa transmita, se as regras forem respeitadas, é muito difícil haver contaminação.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

//Código do Google Analytics