Moto ou fogão? Pilotar pode ser bom de qualquer jeito!

O vento no rosto e o calor do forno são motivos de alegria e satisfação para os médicos João Roberto Seidel de Araújo e Guilherme Biral

Para alguns, motos e carros são apenas um meio de transporte. Para outros, uma verdadeira paixão. É o caso do ortopedista João Roberto Seidel de Araújo, que descobriu o que fazia seus olhos brilharem quando ainda era bem pequeno.

“Quando eu tinha seis anos, meu pai começou a correr de kart e também tinha motos grandes, o que me fascinava. Cerca de meio ano depois, ganhei um kart e comecei a competir com garotos mais velhos, pois da minha idade poucas crianças competiam”, relembra o médico, que aos oito anos ganhou seu primeiro campeonato.

Com o passar dos anos, as preferências de Araújo foram mudando. Ele conta que gosta muito de velocidade pura, pista fechada, com segurança, tanto para carros, como principalmente motos. Porém, de uns 10 anos para cá, os esportes motorizados off-road conquistaram a atenção dele, tanto na leitura como em programas de televisão.

Leia também: Daniela Malaguido Rossetto: a bailarina de punhos cerrados

O nascimento das duas filhas também transformou alguns hábitos do médico. E o modelismo e a pilotagem menos intensa ganharam mais espaço.

“Depois que me tornei pai, tudo ficou mais complicado. Não pelas filhas em si, mas os riscos que esse hobby envolve fazem você pensar um pouco mais”, admite.

Dedicação

Mesmo com os compromissos profissionais e a atenção que ele gosta de dedicar à família, o hobby sempre tem um espacinho na agenda de Araújo, que calcula que destina umas sete horas para leitura, uso e prática relacionados com carros e motos.

João Roberto Seidel
O médico João Roberto Seidel de Araújo dirigindo um carro esportivo

“Já vivemos sob pressão diariamente, mesmo sem a pandemia. Após o aparecimento desse flagelo, com certeza a psique fica mais tranquila com a liberação de adrenalina, ainda mais de uma forma que não causa aglomeração”, garante.

Mas não são só os carros que conquistaram o coração do ortopedista. As motos também têm lugar garantido. Um estudo, realizado pelo ICM Research para a revista Gardener’s World, revelou que andar de moto é uma das atividades que mais traz alegria às pessoas. Afirmação que Araújo concorda plenamente.

“A sensação de liberdade, o aroma do ambiente em que você trafega, a íntima relação que você desenvolve com a máquina e com a esposa em um simples passeio é praticamente impossível de narrar. Quem nunca experimentou deve realizar isso pelo menos uma vez na vida”, recomenda o médico.

Os passeios sobre duas rodas rendem ótimas histórias. Uma delas aconteceu, em 2011, pilotando uma moto superesportiva, pela Serra Dona Francisca, em Santa Catarina.

“Pode parecer irresponsável ou até cômico, mas, em um passeio com minha esposa, estávamos descendo a Serra e de tão confiante e tranquila que ela estava chegou a dormir na garupa enquanto eu estava focado na pilotagem. Achei fantástica a interação, como disse antes, entre homem (casal) e máquina”, recorda.

Temperos e panelas de Guilherme Biral

Entretanto, não são apenas carros e motos que podem ser pilotados com emoção. Na casa do pediatra Guilherme Biral, a mágica acontece na cozinha. O amor pela culinária não é uma novidade, vem lá da adolescência.

Guilherme Biral
O médico pediatra Guilherme Biral

“Tenho muitos parentes que gostam de ´pilotar´ o fogão. Meu interesse e aprendizado na culinária tornaram-se maiores com os tradicionais almoços de domingo da família italiana nos quais eu sempre fui participativo”, revela.

Ele conta que entre o prazer de cozinhar e cozinhar bem, a ponto de levar alegria aos amigos e receber alguns elogios, foi preciso algum tempo de dedicação. E ele admite que até hoje acontece de errar a mão em algum prato, o que é comum acontecer até com os melhores chefs. Não é mesmo?

O segredo para Biral está no preparo. Segundo ele, a maioria dos pratos é feita sem uma receita específica, ele segue o próprio instinto e usa os ingredientes que tem à disposição. Para o médico, cozinhar é um hobby muito fácil de se praticar e que leva alegria a todos! “Pode-se fazer um belo jantar com pouquíssimos ingredientes em um fogareiro de duas bocas na margem do rio Ivaí”, afirma.

Leia também: Alimentação saudável, prevenção e bons hábitos de mãe para filho

Além disso, na hora de colocar a mão na massa, ele gosta de participar de todo o processo.

Com amor e dedicação, o médico Guilherme Biral transforma simples ingredientes em pratos saborosos

“Adoro ir à feira comprar os ingredientes, pedir ao vizinho um tomilho fresco, saber a procedência do alimento, usar um prato bonito na decoração. Quanto mais envolvido você está nas preparações dos alimentos, mais amor terá sua comida. ”, assegura o pediatra.

Apesar de não seguir um roteiro, o médico tem três ingredientes preferidos: farinha, água e sal. Ele observa que, com esses itens, é possível fazer pão de fermentação natural, pizza e massa fresca, por exemplo. Segundo Biral, as variedades são enormes, começando pela pasta, que abre um leque de opções de formatos, molhos, temperos infinitos.

Atualmente a receita preferida do pediatra tem sido empanada argentina recheada com abóbora cabotiá e bacon, preferencialmente no forno a lenha, que ele garante que fica espetacular!

“Eu sempre gosto de cozinhar para relaxar, normalmente em encontros da família, para os amigos, por puro prazer. Se o almoço demorar um pouco para ficar pronto, não há problema, todos vão entender. O mais importante é aproveitar o momento da confraternização”, assegura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *